Vamos prototipar nossos serviços?

Vamos prototipar nossos serviços?

26 de fevereiro de 2018
 |  Manoela Hartz

Se queremos a satisfação do nosso cliente final, do usuário do nosso serviço, a resposta é SIM! Segundo Ilya Prokopoff, Diretora da IDEO (empresa internacional de design e consultoria em inovação), a  prototipagem é uma ferramenta muito poderosa pois permite que as necessidades do consumidor final estejam alinhadas às capacidades da instituição. Somos capazes de atender às demandas dos nossos cidadãos? Como responder e realizar ajustes para atender à expectativas específicas? Essas perguntas podem ser respondidas quando prototipamos nossos serviços.  Seguem 6 dicas valiosas para nos auxiliar nesta empreitada:

1. Determine os momentos que importam: quais são os pontos de inflexão mais importantes na jornada do usuário? É impossível ser bom em tudo o tempo todo, por isso é fundamental identificar os pontos-chave na experiência do usuário que merecem mais atenção e priorização.

2. Atenção a indicadores simples: é comum, com protótipos iniciais, recorrer a métricas e evidências. Porém, muitas vezes o protótipo de papel simples é o que provoca uma sensação de confiança de que esta será a solução certa.

3. Estimule o potencial criativo daqueles que estão entregando o serviço: confie nos instintos e ideias das pessoas que vivem a situação todos os dias. Envolva os principais interessados como designers.

4. Use marcos temporais: pense no processo da experiência ao longo do tempo. Em cada momento, como você ajuda as pessoas a se lembrar de você? Como você ajuda as pessoas a antecipar o próximo momento de engajamento?

5. Peça às pessoas que imaginem uma versão mais idealizada do serviço: qual é a experiência idealizada que aborda alguns dos desafios conhecidos? Os protótipos de baixa fidelidade podem ser extremamente úteis porque muitas vezes os usuários fazem comentários para ajudar a projetar algo que realmente atenda às suas necessidades.

6. Use restrições para forçar a criatividade: peça às pessoas para pensar sobre todos os tipos de interações com as quais eles podem jogar. Em seguida, desenvolva soluções de design para apenas uma. E se você pudesse apenas entregar a experiência por meio das pessoas? E se você só pudesse entregar com sinalização e comunicação ou apenas através de dicas sobre como se mover através de uma experiência?

Aqui você pode acessar imagens de alguns serviços prototipados pela IDEO.

1

Posts Relacionados



1 Comentário

  • Franklin
    Franklin disse:

    Realmente deveríamos mesmo pensar na “versão mais idealizada do serviço” público. E repito, não disse pensar MAIS, pois precisamos ao menos PENSAR nessa versão mais idealizada. A rotina do serviço público é de que uma versão idealizada nem mesmo cabe ao serviço público (não temos tempo, não recurso e etc).
    Mas, ferramentas/técnicas como a prototipagem já tem mostrado que podem justamente ganhar tempo e reduzir gastos desnecessários.
    Respondendo a pergunta, a resposta é SIM. Começamos quando ? (Rsss).
    Boa !!! Manoela.

Deixe um comentário:

Assine nossa revista


POSTS PUBLICADOS

Agencia Mobidick