Tendências de inovação no setor público

Tendências de inovação no setor público

25 de julho de 2017
 |  gustavo araujo

 Fonte: OECD 

O Observatório da Inovação do Setor Público da OECD publicou recentemente um relatório sobre as formas com as quais os governos estão transformando seus serviços e melhorando a vida dos cidadãos. O estudo identificou seis tendências que estão moldando a inovação na área pública.

Tendência 1. Humanos e máquinas: combinando conhecimento humano

com ferramentas inovadoras

Os governos estão descobrindo novas formas novas de combinar o conhecimento e a experiência de cidadãos com dados gerados por ferramentas tecnológicas para melhorar os serviços governamentais. Um exemplo é o aplicativo Extreme Weather dos Emirados Árabes, que gera um alerta sobre as condições climáticas, informando, por exemplo, se há uma tempestade de areia se aproximando da localização onde a pessoa está. Usando dados de satélite em tempo real e modelos de previsão do tempo, o app é um dos primeiros a se especializar na detecção e previsão de tempestades de areia, que é um grande desafio no Oriente Médio, pois atinge milhares de pessoas com problemas de saúde respiratória.

Tendência 2. Aumentar ou diminuir o zoom: escalabilidade no governo

O setor público está encontrando novos caminhos para promover a expansão da inovação para diversos setores administrativos, lançando mão de pequenos protótipos de iniciativas governamentais. Uma tendência nesse sentido são os laboratórios de inovação em governos, que permitem a colaboração de vários atores do governo e de fora dele para investigar e experimentar soluções inovadoras para os serviços públicos. Os laboratórios de inovação para governos representam uma alternativa à implementação de programas e políticas de grande escala que muitas vezes deixam de alcançar os resultados esperados.

Tendência 3. Cidadãos como especialistas: redefinindo os limites da relação governo e cidadão

Os governos inovadores reconhecem cada vez mais que as ideias podem vir de fora da administração pública. Ao apoiar iniciativas centradas nos cidadãos, os governos podem aprender novas ideias e abordagens, promovendo confiança e inclusão na sociedade. Um exemplo é a iniciativa de agentes de governo aberto em São Paulo, onde os cidadãos ensinam cursos de governo aberto para funcionários públicos. O objetivo não é apenas melhorar a qualidade dos serviços prestados, mas também transformar a cultura do governo para que os cidadãos sejam vistos como parceiros que podem moldar a política e trazer novas idéias e abordagens. Em última análise, isso pode aumentar a confiança dos cidadãos no governo.

Tendência 4. Serviços de massa ou personalizados: a próxima geração de entrega de serviços

Abordagens tradicionais de entregas de serviços públicos está chegando ao fim. Governos inovadores estão criando serviços centrados no cidadão, aprendendo a reconhecer que cada indivíduo tem desejos e necessidades específicas. Ferramentas tais como o design centrado no usuário  e o desenvolvimento ágil estão sendo cada vez mais aplicadas aos serviços públicos. Por exemplo, a iniciativa de Medicina de Precisão dos Estados Unidos leva em consideração as diferenças individuais nos genes, ambientes e estilos de vida das pessoas, possibilitando tratamentos mais eficazes e direcionados para tratar doenças como câncer e diabetes.

Tendência 5. Governo experimental: pequenas apostas com grande

potencial

Para obter um ritmo rápido de mudança, a administração pública está percebendo que precisa experimentar novas possibilidades e rapidamente estabelecer quais abordagens funcionam e quais não. Ao testar e validar novas ideias em uma escala gerenciável antes de difundir e expandir, a área pública pode explorar novas soluções e minimizar os custos. Para fazer isso, é necessário criar uma cultura que permita a experimentação. Por exemplo, a Finlândia lançou uma iniciativa para experimentar e estudar o impacto de intervenções inovadoras. Embora pequenos em escala, esses experimentos têm o potencial de mudar drasticamente os modelos econômicos, bem como a eficácia dos serviços públicos. O governo experimental consiste em moldar o futuro do governo, com evidências.

Tendência 6. Rompendo as normas: repensar a máquina de

governo

Ideias inovadoras que causam um real impacto incluem mudanças na estrutura, pessoas e financiamento do próprio governo. Para construir uma base melhor para a inovação no setor público, os governos estão usando novas abordagens de gerenciamento de recursos humanos e financeiros. Muitas das inovações em um dado setor do governo não se espalham sistematicamente para outros locais de trabalho, elas permanecem trancadas dentro das organizações onde foram desenvolvidas. Para quebrar esse ciclo burocrático, por exemplo, a iniciativa de inovação da Spread da Dinamarca fornece orientação, ferramentas e incentivos para ajudar a disseminar ideias inovadoras de uma organização para outra através do aprendizado e do diálogo entre funcionários públicos.

A inovação no setor público visa implantar novas formas de impactar a vida cotidiana do cidadão. Inovar envolve o rompimento de estruturas antigas e fomenta o uso de novas tecnologias, processos e ideias. Mais importante ainda, a inovação em governos visa criar maneiras para garantir o bem-estar, a segurança e a justiça para os cidadãos, e serve de catalisador para provocar a cocriação, indo muito além dos muros da administração pública.

0

Posts Relacionados

Assine nossa revista


POSTS PUBLICADOS

Agencia Mobidick