Formação para Inovação

Introdução

  • O desafio inicial: competências insuficientes e/ou inadequadas dos servidores públicos para inovação.
  • Suas raízes: inovação não é um valor no serviço público; descontinuidade administrativa – mudança na gestão, aversão ao risco pelos servidores.
  • Mudança almejada no longo prazo com a resolução do desafio: desenvolvimento de soluções inovadoras para sociedade.

O início

O desafio surgiu da oficina da Rede InovaGov realizada em 23/02/2017. O início dos debates do grupo surgiu a partir da seguinte matriz construída pelos participantes:

Primeira reunião

Na primeira reunião do Grupo de Trabalho, em 27/04/2017, criado para enfrentar o desafio foram construídas as seguintes reflexões:

Para que queremos aprender sobre inovação?

  • Para pensar novas formas de resolver desafios gerando valor público;
  • Sair do processo atual de “geração espontânea de Inovação” para construção de uma estratégia de formação de inovadores;
  • Inovação para melhorar a vida das pessoas e focada nos cidadãos;
  • Inovação contribuindo para os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODS)

Quem deve aprender (e o que) sobre inovação?

  • Públicos distintos:
    • Alta Gestão (patrocinadores da Inovação)
    • Gestores de Projetos de Inovação (“eu quero liderar para fazer”)
    • Servidores Públicos interessados em inovar (“eu quero fazer junto”)
  • Públicos distintos necessitarão de estratégias distintas;
  • Inovação não deve ser pensada para apenas uma área mas permear a cultura de trabalho da organização em seus diversos níveis

De que formas podemos aprender sobre inovação?

  • Aprender por meio de capacitações que unam teoria (mentalidade) e prática (postura);
  • Cursos só teóricos possuem pouca efetividade;
  • Atividades de sensibilização para gerar interesse e começar a formar uma primeira camada sobre o tema;
  • Cursos presenciais + Cursos EAD;
  • Aprender pelos exemplos existentes: concurso de Inovação, G.N.Papo, etc

Quem pode nos ensinar sobre inovação?

  • Papel das Escolas de governo
  • Papel do setor privado
  • Papel das áreas de Gestão de Pessoas nos próprios órgãos
  • Papel do Ministério do Planejamento na sensibilização dos altos gestores e, no médio prazo, no desenho de uma política

Como podemos formar inovadores em todo o setor público?

  • Conhecendo melhor o que já fazemos e compartilhando os erros e acertos;
  • Conhecendo experiências análogas;
  • Formando redes;
  • Começando a amadurecer um “protótipo” de atuação no tema;
  • Aprimorando (“desburocratizando”) a comunicação no governo;
  • Aproximando governo e sociedade civil

Quais estratégias podem ser adotadas na formação de inovadores?

  • Conscientizar com divulgação de práticas, premiações e projetos de inovação, ações de sensibilização quanto à importância da inovação.
  • Capacitar com treinamentos formais (presenciais e EAD), seminários, congressos.
  • Conectar com encontros de inovadores, publicações (livros, periódicos, blogs) sobre inovação, projetos conjuntos de inovação.

Segunda reunião

No segundo encontro do GT, realizado em 19/06/2017, foram discutidos os resultados de um protótipo de instrumento criado para mapear as competências e ações de aprendizagem de inovação no setor público que resultou nas seguintes respostas:

Atividades de inovação:

  • Cursos
  • Pesquisas
  • Desenvolvimento de projetos de inovação por meio do laboratório de inovação
  • Processo eletrônico
  • Design Thinking
  • Metodologia Ágil
  • Visualização de dados
  • Adesão formal do órgão à Rede InovaGov
  • Inserção de servidores em Grupos de Trabalho da Rede InovaGov
  • Participação de servidores envolvidos com a temática “Inovação” em palestras e encontros promovidos por outros órgãos/outras instituições sobre o tema
  • Mapeamento e seleção de propostas de trabalho tendo como objetivo possível contratação de capacitação e consultoria para formatação da estratégia de promoção da inovação no órgão
  • Inserção do tema “Inovação” no Plano Anual de Capacitação
  • Sensibilização da Alta Administração quanto à importância estratégica, tática e operacional da inserção do tema “Inovação” no âmbito do órgão
  • Construção da estratégia de Business Intelligence, com o intuito de desenvolver a cultura de análise de dados
  • Participação ativa do desenvolvimento do Processo Eletrônico Nacional e expansão do Sistema Eletrônico de Informação, tanto do ponto de vista da abrangência quanto da inovação nos processos administrativos
  • Projetos isolados já fazem uso de ferramentas de Design Thinking. O principal foco é o redesenho de serviços públicos.

 Conhecimentos:

  • Gestão de projetos ágeis
  • Gestão por processos com kpi
  • Mapeamento simplificado de processo
  • Design Thinking
  • Gestão da inovação
  • Gestão do conhecimento
  • Gerenciamento de projetos (tradicional e ágil);
  • Técnicas de facilitação
  • BPM
  • Design estratégico
  • Visual thinking
  • Novas tecnologias e seu potencial no serviço público
  • Economia comportamental
  • Desing sprint
  • Teoria U
  • Metodologias de inovação incremental e disruptiva
  • Empreendedorismo
  • Análise de dados
  • Introdução à inovação

Habilidades:

  • Habilidade de co-criação (escuta e criação)
  • Facilitação de atividades grupais (moderação)
  • Raciocínio criativo
  • Capacidade de expressão visual
  • Comunicação
  • Gestão
  • Diálogo
  • Visão Sistêmica;
  • Trabalho em Equipe
  • Percepção Contextual
  • Capacidade de Persuasão
  • Liderança para inovação
  • Proatividade
  • Capacidade crítica
  • Abertura ao conhecimento

Atitudes:

  • Respeito a visão dos outros
  • Busca de cocriação
  • Habilidade para trabalhar em equipe
  • Foco no bem comum
  • Ser propositivo
  • Mediação
  • Coaching
  • Mentoria
  • Cooperação
  • Empatia
  • Flexibilidade
  • Atitude Investigativa
  • Proatividade

 

Ações de formação e capacitação:

  • Através da vivência por meio de projetos do laboratório de inovação, onde representantes dos órgãos envolvidos nesses projetos participam do processo; através de cursos
  • Pretende fazer parceria com a InovaGov assim que o termo estiver formalizado. Ou contratar player externo (Echos, EloGroup, Tellus)
  • O órgão está na fase de elaboração de uma estratégia para a formação, capacitação e conscientização de seus servidores e colaboradores no tema “Inovação”. A unidade regimentalmente responsável por inovação na gestão tem capacitado alguns servidores por meio da participação na Rede InovaGov
  • Não realizada / Não existe ainda formação

Nesta reunião, o nome do desafio foi alterado de “Profissionalização do Servidor Público” para “Formação para Inovação”, o grupo decidiu iterar o instrumento de pesquisa para fazer uma consulta aberta para todos e realizar oficinas de Design Thinking e Design Sprint para redefinição do desafio e geração de ideias e protótipos.

Pesquisa sobre Formação para Inovação no Setor Público

Pesquisa online divulgada no blog da Rede InovaGov e também na lista de e-mails da Rede.  155 participantes de diversos órgãos do setor público. Principais resultados:

Quais são as principais atividades relacionadas com a temática inovação que são realizadas atualmente?

  • Organização de oficinas com métodos inovadores: 49%
  • Organização de prêmios para ideias e práticas inovadoras: 49%
  • Desenvolvimento de projetos de inovação: 47%
  • Sensibilização da alta gestão sobre a importância da inovação: 47%
  • Organização de eventos sobre inovação: 40%

Quais os conhecimentos mais importantes para formação e capacitação para inovação?

  • Novas tecnologias e seu potencial no setor púbico: 60%
  • Design thinking: 58%
  • Gerenciamento ágil de projetos: 56%
  • Gestão do conhecimento: 55%
  • Business intelligence: 47%

Quais as habilidades mais importantes para formação e capacitação para inovação?

  • Visão sistêmica: 72%
  • Raciocínio criativo: 70%
  • Comunicação: 65%
  • Trabalho em equipe: 63%
  • Pensamento crítico: 62%

Quais as atitudes mais importantes para formação e capacitação para inovação?

  • Criatividade: 79%
  • Cooperação: 72%
  • Proatividade: 63%
  • Atitude investigativa: 61%
  • Respeito à opinião dos outros: 61%

Como a sua organização realiza hoje a formação, capacitação e sensibilização em inovação de servidores e colaboradores?

  • Cursos desenvolvidos pela própria organização: 54%
  • Realização de palestras e encontros sobre inovação: 48%
  • Realização de prêmios internos de inovação: 42%
  • Material disponível em biblioteca, wiki ou repositório: 35%
  • Vivência por meio da participação em projetos e oficinas: 35%

Perfil dos participantes:

  • Patrocinadores estratégicos: alta direção/gestão (10 respostas)
  • Patrocinadores táticos: média gestão (25 respostas)
  • Projetistas e designers: área (ou grupo de trabalho) de inovação (10 respostas)
  • Inovadores: Servidores e colaboradores que realizam atividades técnicas ou operacionais (95 respostas)
  • Não identificado (15 respostas)

 Resultados online em: https://gtgcsgp.typeform.com/report/Qmd30b/HPsn

 Design Thinking

Nos dias 14 e 17 de agosto foram realizadas oficinas de Design Thinking com os seguintes objetivos:

  • Aprofundar mais a discussão do problema inicial (“competências insuficientes e/ou inadequadas dos servidores públicos para inovação”);
  • Criar mapa de stakeholders (e rede de valor);
  • Criar personas representando os perfis clientes do desafio (alta gestão, média gestão, equipes de inovação, servidores e colaboradores); e
  • Criar novos pontos de vista e insights.
  • Gerar ideias que podem ser desenvolvidas em oficinas e outras ações.

Como resultado das oficinas foram identificados os seguintes perfis e desafios:

  • “Como podemos desmistificar inovação para o servidor comum?” (servidores);
  • “Como podemos sensibilizar o agente público para ser um patrocinador da inovação?” (agente público);
  • “Como podemos criar incentivos para liberação dos servidores para atividades de inovação?” (média gestão);
  • “Como podemos demonstrar que inovação agrega valor e gera resultado?” (alta gestão);
  • “Como podemos mudar a percepção das demais áreas para que valorizem a inovação?” (áreas de inovação).

Também foi realizada uma oficina de follow-up, focada em ideação e prototipagem no dia 14/09/2017.

 Design Sprint

No período de 21 a 25 de agosto de 2017 foi realizado a primeira oficina de Design Sprint da Rede InovaGov. Principais resultados:

Objetivo a longo prazo

Criar capacidade para gerar soluções de forma consistente que impactem positivamente as pessoas!

Perguntas da Sprint

Como vamos mobilizar capacidade para gerar soluções inovadoras?

Como desenvolver consistência nas ações inovadoras?

Como podemos…

… explicar/apresentar formas e conteúdo de inovação que estimulem a geração ou captação de novas ideias que levam a soluções inovadoras

Momento escolhido no mapa

Viabilizar a inovação

Nosso alvo

Todos os servidores e colaboradores da organização (perfil técnico e/ou operacional)

Ideia escolhida para prototipar

Plataforma digital gamificada de desafios, ideias, protótipos e conteúdos relacionados à inovação

Storyboard da ideia (ver na seção de Imagens).

 Protótipo:  Desafio.Gov

https://www.emaze.com/@AORIQWQCI/desafiogov_beta

 Avaliações gerais do protótipo em relação ao objetivo a longo prazo e perguntas da Sprint:

Criar capacidade para gerar soluções de forma consistente que impactem as pessoas!

R: O protótipo começou a trazer respostas sobre como podemos gerar essa capacidade por meio de cooperação, interação, engajamento e atratividade da ferramenta. Dá para melhorar!

Como vamos mobilizar capacidade para gerar soluções inovadoras?

R: Por meio da cooperação, da interação das pessoas através de ferramentas atrativas. Sucesso parcial com o protótipo (nota 3 de 5).

Como desenvolver consistência nas ações inovadoras?

R: Agrupar dados e conhecimento relevante e formação de parcerias (integração de pessoas e órgãos). Sucesso parcial (nota 3 de 5)

Selfie da equipe do Design Sprint!

 Resultados até o momento

Em relação ao planejamento original, foram concluídas as etapas de “Realização de pesquisa aberta sobre inovação e aprendizagem no setor público”, “Realização de oficinas de Design Thinking para a redefinição do desafio inicial e geração de ideias e protótipos” e “Realização de oficina de Design Sprint para a geração de ideias e construção de protótipo”.

Atualmente, encontra-se em consolidação o resultado da primeira fase do projeto. As reuniões do grupo de trabalho, a pesquisa realizada e as oficinas ajudaram a fomentar uma excelente massa crítica sobre o assunto e agora temos dados, informações, conhecimentos, perfis, ideias e protótipos que serão essenciais para a continuidade do projeto.

Principais resultados:

  • Mapeamento de conhecimentos, habilidades e atitudes, assim como de principais ações de aprendizagem para inovação adotadas no setor público;
  • Definição de perfis específicos dentro do setor público que requerem abordagens diferenciadas relativas à sensibilização, formação e qualificação em inovação;
  • Geração de ideias e protótipos para enfrentar os desafios propostos.

Próximos passos

Em relação aos próximos passos, será realizada em novembro de 2017 uma reunião de consolidação da primeira fase e início da segunda fase do Desafio Mobilizador que é a iteração de ideias e protótipos para futura implementação e uso pelo setor público.

Futuras entregas:

  • Elaboração de relatório consolidado da pesquisa sobre formação para inovação no setor público
  • Consolidação das ideias criadas nas oficinas
  • Desenvolvimento do protótipo criado no Design Sprint
  • Construção de Guia de Orientação para Formação e Capacitação em Inovação no Setor Público.

Lições aprendidas

Em relação às principais descobertas, aos aprendizados e às lições aprendidas até o momento, pode-se afirmar que não há uma solução única para o desafio da formação, capacitação e conscientização para inovação no setor público. Existem diferentes perfis (da alta gestão ao servidor que atua em atividades operacionais) com suas próprias ​necessidades e que requerem diferentes estratégias e ações de aprendizagem.

Capacitação para inovação não pode ficar adstrita apenas a educação formal como cursos com enfoque teórico. Este tipo de abordagem tem seu papel e continua sendo relevante, mas o aprendizado sobre inovação tem um aspecto prático muito importante. A abordagem do “learning by doing” (aprender fazendo) e outras formas de aprendizagem menos formais (como troca de experiências, projetos conjuntos e disponibilização de conteúdo) são ações que devem ser utilizadas.

A formação, capacitação e conscientização fazem parte de um escopo maior (e que envolve outras ações em outras áreas) que é criar um ambiente que favoreça o fomento de uma cultura de inovação no setor público. Tais ações devem ser conectadas com o objetivo de gerar capacitação para a criação de inovações de forma consistente. Existe inovação no setor público, sim! O desafio maior é que a inovação deixe de ser ações isoladas e passe a fazer parte da cultura organizacional das instituições e organizações públicas gerando assim inovações de forma consistente.

Abordagens participativas e colaborativas para resolução de problemas, como o Design Thinking, são formas bastante efetivas para a construção conjunta de massa crítica para análise de problemas e desenvolvimento de soluções mais efetivas.

Participantes do Desafio

Líder: Rodrigo Mota Narcizo (Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC)

Contato: rodrigo.narcizo@anac.gov.br / gtgc.sgp@anac.gov.br; (61) 3314-4825

Equipe original:

Marina Luisa – SPREV/MF – (61) 2021-5561 – lmsilva@previdencia.gov.br

Angelita da M. Ayres Rodrigues – CJF – (61) 3022-7120 – angelita@cjf.jus.br

Fábio Mendonça de Oliveira – CJF – (61) 3022-7116 – oliveira@cjf.jus.br

Leonardo F. de Oliveira – CJF – (61)3022-7191 – oliveira@cjf.jus.br

Iara Endo – MP/INOVA – (61) 2020-8693 – endo@planejamento.gov.br

Leumaise A. dos Santos – CJF – (61) 3022-7371 – santos@cjf.jus.br

Letícia Mendonça – G’NOVA/Enap – (61) 2020-3434 – mendonca@enap.gov.br

Italo Oliveira Mendes – MTUR – (61) 2023-7947 – ítalo.mendes@turismo.gov.br

Quem está na nossa equipe ou na lista de e-mails do GT de Formação para Inovação:

Advocacia-Geral da União (AGU)

Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC)

Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANVISA)

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANS)

Caixa Econômica Federal

Câmara dos Deputados

Conselho da Justiça Federal (CJF)

Echos Laboratório de Inovação

Empresa de Planejamento e Logística (EPL)

Escola Nacional de Administração Pública (ENAP)

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA)

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA)

Instituto Federal do Maranhão (IFMA)

MindLab

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA)

Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC)

Ministério da Previdência Social

Ministério do Meio Ambiente (MMA)

Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG)

Ministério do Turismo (MTUR)

Ministério Público Federal (MPF)

Presidência da República

Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN)

Secretaria do Tesouro Nacional (STN)

Tribunal de Contas da União (TCU)

 

PROJETO DESCONTINUADO. CASO TENHA INTERESSE EM RETOMAR O PROJETO, ENTRAR EM CONTATO PELO EMAIL: inova.setorpublico@gmail.com

Conheça os participantes do Projeto

Agencia Mobidick