Operação enganosa - o lado negro da inovação na saúde

Operação enganosa – o lado negro da inovação na saúde

31 de julho de 2018
 |  Talita Dantas
Documentário debate ética e inovação na medicina

Para inovar, precisamos, em alguma medida, deixar a criatividade e a imaginação correrem livres, sem amarras e julgamentos. Todavia, em algum momento, teremos de nos defrontar com os limites da ética. Isto é, não basta inovar por inovar, nem inovar para beneficiar alguns poucos, em detrimento da sociedade. A inovação deve ser norteada por princípios que prezem pelo bem comum.

Nesse sentido, o documentário Operação Enganosa, que estreou na Netflix em 27 de julho, promete revelar “como, na corrida pela inovação, a indústria de artefatos médicos pode trazer trágicas consequências aos pacientes”. Com o relato de muitas pessoas que sofreram em decorrência de inovações em dispositivos médicos e de várias outras ligadas à indústria dos medical devices, o filme propõe um mergulho profundo em reflexões éticas de suma importância.

Brechas legislativas que permitem a inserção de tecnologias não suficientemente testadas e potencialmente danosas no mercado. Seus impactos na vida e na saúde dos usuários. O confronto entre poder e ganância X vida e coletividade. Todos esses pontos são abordados no documentário. Sem dúvida, uma boa reflexão sobre o papel da inovação e de seus produtos nas nossas vidas, e sobre seus impactos (nem sempre positivos) na sociedade. Um filme que nos convida à essencial assunção de responsabilidade social ao trabalharmos com inovação.

0

Posts Relacionados



0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Assine nossa revista


POSTS PUBLICADOS

Agencia Mobidick