Governo de São Paulo vai criar laboratório de inovação para o setor público

05 de junho de 2015
 |  Coordenação Sustentação DEIOP
Segue
texto da publicação feita no Diário Oficial do Estado de São
Paulo, seção 1, de 13 de maio de 2015.
Governo vai criar laboratório de inovação para o setor público

Buscar soluções coletivas para
problemas complexos do setor público é a proposta do Laboratório
de Inovação em Governo (iGovLab), primeiro do gênero a ser criado
no País. Com inauguração prevista para a segunda quinzena de
junho, a iniciativa resulta da parceria entre Secretaria Estadual de
Governo, Universidade de São Paulo (USP), Fundação do
Desenvolvimento Administrativo (Fundap), Fundação Sistema Estadual
de Análise de Dados (Seade) e Centro de Estudos e Pesquisas de
Administração Municipal (Cepam).
O iGovLab adotará metodologias e
técnicas gerenciais modernas, centradas na colaboração e na
criatividade, como Design Thinking (métodos de abordagem de
problemas a partir de processos utilizados por designers) e o
Storytelling (técnica de contar histórias que consiste em
transmitir eventos na forma de palavras, imagens e sons), entre
outras.
Inéditas em órgãos públicos,
essas abordagens propõem ouvir a sociedade, gestores e agentes
públicos interessados em um processo, com o objetivo de revê-lo,
incorporando melhorias, seguindo os seis passos propostos pelo Design
Thinking: entender, observar, definir, idealizar, prototipar e testar
as soluções encontradas.
Coletivo
O laboratório vai adotar como um de
seus princípios o aproveitamento das novas tecnologias disponíveis
e a inteligência coletiva de servidores e cidadãos, explica Roberto
Agune, da Unidade de Inovação da Secretaria Estadual de Governo;
além de incentivar a criatividade, o protagonismo e o
empreendedorismo dos participantes na busca por soluções.
“Buscar estender para outros
serviços públicos o padrão de excelência atingido pelo Poupatempo
(99% de aprovação) está entre os objetivos do projeto”, explica
Agune. Hoje, o cidadão pode agendar pela internet ou por telefone
atendimento nos 64 postos espalhados pelo Estado. No próprio balcão,
cada usuário atribui uma nota ao serviço prestado. Instantaneamente
tabulada, essa informação permite aos responsáveis pelo programa
tomar decisões gerenciais rápidas e contornar desafios imprevistos
(ver serviço).
Interesse público
Álvaro Gregório, também da Unidade
de Inovação e um dos mentores do iGovLab, informa alguns dos temas
previstos para análise no laboratório. O Acessa São Paulo – rede
estadual com 847 infocentros lançada há 15 anos – será o
primeiro. A ideia é rever o modelo de negócio, processos,
instalações e serviços ligados ao programa de inclusão digital.
O trabalho dos bombeiros aparece como
segunda pauta. Periodicamente, a corporação estuda o conjunto de
ocorrências atendidas e analisa as de maior incidência e de
periculosidade. No iGovLab, há a proposta de capacitar os agentes
desse processo para propor e estabelecer ações preventivas (mais
baratas que as ostensivas) e capazes de prevenir situações de risco
à população, como incêndios e outros acidentes.
“Pretende-se criar um espaço
permanente para o Estado atacar problemas de difícil resolução e
de caráter multidisciplinar. Questões que abrangem diversos atores
públicos e privados em várias áreas, como saúde, segurança e
mobilidade urbana”, observa Agune.
Para inovar e formatar soluções,
uma das estratégias é apostar na progressiva abertura e integração
das bases de dados governamentais, hoje dispersas e fragmentadas em
diversas secretarias de Estado e órgãos federais e municipais.
“Uma das ideias é criar uma camada
integradora envolvendo esses cadastros e aproveitar essa ‘janela
tecnológica’ no iGovLab para propor novos serviços e políticas
públicas”, explica Agune. Como exemplo do que pode ser feito,
pode-se citar o novo Registro de Identidade Civil (RIC).
Este projeto do Instituto de
Identificação Ricardo Gumbleton Daunt substituirá o documento de
identificação tradicional. O novo RG terá por característica
armazenar em memória interna informações pessoais do proprietário,
para preservar a privacidade, dar segurança e permitir leitura
rápida, via QRcode (leitura pela câmera do celular), inclusive em
sistemas móveis, em transações públicas e privadas.
Contatos
Para sugerir temas ou se comunicar
com o iGovLab, o cidadão ou servidor público pode recorrer aos
portais da Rede Paulista de Inovação em Governo (iGovSP) e o da
Fundap. Também há a opção de contatar a Ouvidoria-Geral do
Estado, cujo site direciona o interessado às ouvidorias de
secretarias, fundações, autarquias e demais empresas públicas
paulistas, responsáveis pela demanda (ver serviço).
Todas as manifestações recebidas
nas ouvidorias recebem um número de protocolo e ficam registradas
nos sistemas internos de informática, independentemente de ser
pedido de informação, elogio, reclamação, denúncia, sugestão ou
outras demandas. Além disso, o solicitante pode acompanhar pela
internet o andamento do seu contato.
Fonte:

Posts Relacionados



0 Comentários

Deixe um comentário:

Assine nossa revista


POSTS PUBLICADOS

Agencia Mobidick