Como tornar o setor público mais ágil? 9

Abordagem ágil: o que é e como aplicá-la ao setor público?

30 de abril de 2018
 |  Luanna Roncaratti

Tivemos a excelente oportunidade de participar de um GNPapo (conversa com inovadores) sobre as possibilidades e razões para tornar o setor público mais ágil. A participação especial foi de Mads Bonde Clausen, do laboratório de governo da Dinamarca – MindLab.

Como tornar o setor público mais ágil? 4

Mas o que seria a abordagem ágil?

Mads apresentou seus princípios essenciais em comparação às abordagens tradicionais.

Agilidade no setor público: é possível conseguir??

No gerenciamento de projetos tradicional, busca-se encontrar o caminho perfeito para se chegar à solução. O gestor então realiza análise de riscos, análise de orçamento, análise de stakeholders, etc. Isso leva tanto tempo que você acaba chegando a uma solução que não atende às necessidades do usuário, pois as circunstâncias mudam no meio do caminho. É o que se chama de “solução perfeita para o problema errado”. Dando passos menores e experimentando ao longo do caminho é possível aumentar as chances de chegar a uma solução relevante.

Um dos principais benefícios da agilidade na resolução de problemas é reduzir riscos, pois é possível perceber falhas no desenho logo no início do projeto, antes de se gastar muito tempo e dinheiro indo na direção errada. Daí a grande importância de se realizar protótipos e pilotos. Aliás, você sabe a diferença entre os dois? Olha este quadrinho legal que ele apresentou (tradução livre):

Agilidade no setor público: é possível conseguir?? 1

Outro quadrinho bacana compara as abordagens tradicionais e as ágeis. Enquanto as abordagens tradicionais partem da perspectiva de dentro para fora, com foco na entrega em conformidade com o planejado, a metodologia ágil parte da ideia de fora para dentro. Ela tem como foco o aprendizado rápido das necessidades dos usuários finais, pois eles são os especialistas de fato. Além disso, a metodologia ágil não evita o risco e reconhece a incerteza envolvida na elaboração de soluções, principalmente realizando testes e aceitando a possibilidade do erro. Por fim, também há uma grande diferença entre o modo de implementação. Enquanto as abordagens tradicionais costumam fazer grandes e barulhentos lançamentos de soluções criadas, a metodologia ágil geralmente possibilita pequenos passos. Há pequenos avanços e melhorias desde o início do processo. Abaixo, reproduzimos o quadro apresentado (tradução livre).

Agilidade no setor público: é possível conseguir?? 10

Mads complementou a reflexão com uma comparação interessante. Aplicar metodologias ágeis, ou seja, realizar testes, preparar protótipos e pilotos, se assemelha a fincar um graveto ou um galho de árvore em uma corrente de água e verificar o que acontece. Nem sempre a água vai fluir da mesma forma a partir dessa intervenção.

Agilidade no setor público: é possível conseguir?? 11

Ferramentas de agilidade

Mads aborda as sprints como ferramentas de agilidade. Trata-se de um processo intensivo, normalmente de 1 a 2 semanas que deve apresentar um produto relevante ao seu final. Se necessário, é possível realizar uma série de sprints para chegar ao resultado final desejado. O sprint é interessante para dar aquele impulso no projeto! Como diz o Mads: “Sprint gives you momentum instead of perfection”. Ele também dá explicações sobre “Scrum” e “Lean Startup”, conceitos relacionados ao tema.

O dinamarquês fala ainda da importância de se levar em conta o fator cultural quando buscamos dar mais agilidade aos projetos de governo. O status quo está sempre pronto para destruir uma nova maneira de se fazer as coisas, então, é preciso estarmos atentos a esse fato e trabalharmos a questão cultural no local de trabalho a fim de introduzir a metodologia ágil com sucesso.

Agilidade no setor público: é possível conseguir?? 2

Ficou com gostinho de quero mais? Então assista ao GNPapo na íntegra clicando aqui.

 

Posts Relacionados



0 Comentários

Deixe um comentário:

INOVAGOV

Assine nossa revista


POSTS PUBLICADOS

Agencia Mobidick